Origem do nome
Existem várias versões sobre a origem do nome “Ilha do Mel”:

Antes da Segunda Guerra Mundial a ilha era conhecida como a ilha do Almirante Mehl que se dedicou à apicultura e cuja família lá freqüentava.

Marinheiros aposentados viviam na Ilha e dedicaram-se à apicultura, produzindo uma quantidade tamanha que chegaram a exportar o produto até os anos 60.

A água doce existente na ilha contém mercúrio. Em contato com a água salgada isto causa uma coloração amarela, semelhante à cor de favos de mel.

Os índios Carijós que viviam na região apreciavam muito o mel de abelhas, então a exploração apícola é antiga.

A ilha seria entreposto para navios comprarem mantimentos, entre eles farinha (mehl em alemão).

Lendas e histórias fantásticas cercam de mistérios  esta ilha com praias paradisíacas, areia branca, natureza exuberante, onde o tempo parece parar.

No século XVIII, a Ilha do Mel por sua localização estratégica era considerada de vital importância na defesa do Porto Dom Pedro II, um dos mais movimentados do país já na época.

Por ordem de Dom José I, foi construída em 1767 a Fortaleza de Nossa Senhora do Prazeres ou Fortaleza da Barra, com o objetivo de garantir a segurança da região e do porto por onde eram embarcados produtos extraídos do continente, como a madeira, erva-mate e o ouro.

Em 1850 aconteceu a batalha contra o vapor de guerra inglês Cormorant que aprisionou  3 naus brasileiras carregadas de escravos. Os canhões da fortaleza cuspiram fogo e o evento ficou conhecido como “Combate Cormorant”.  Da fortaleza restam apenas ruínas hoje tombadas pelo Patrimônio Histórico.

Do alto do Mirante da Fortaleza que se atinge por trilha com pedras centenárias e vegetação exuberante, visualizam-se ainda os canhões apontados para a entrada da baía.

Em 1872 foi erguido o Farol das conchas, por ordem de Dom Pedro II, com a finalidade de orientar os navegadores da região. O Farol é todo feito em ferro fundido e considerado uma das grandes obras de engenharia da época. Sua escadaria com centenas de degraus levam a um dos mais belos locais de nosso litoral, que proporciona visão a todo a região e serra do mar.

A  Gruta  das Encantadas está envolta em lendas e histórias fantásticas. É uma cavidade natural, ao nível do mar, localizada ao sul da ilha. Guarda segredos ainda envoltos em mistérios. Diz a lenda que  lindas  mulheres, em noite de luar, apareciam e com sua beleza e seus cantos sedutores, encantavam os visitantes que, andando distraidamente pela praia, aproximavam-se da gruta e desapareciam misteriosamente para sempre.

Em 1992 durante a Conferência ECO 92 realizada no Rio de Janeiro, a ilha foi elevada a condição de Reserva da Biosfera, preservando assim as belezas naturais, fauna e flora da região, sendo a sua administração entregue ao Instituto Ambiental do Paraná – IAP.

Visando a conservação deste patrimônio, algumas restrições foram impostas. Foi necessário disciplinar o acesso à ilha, através de um cadastro. Atualmente existe restrição quanto ao número de visitantes, limitando-se em 5000 pessoas simultaneamente. O camping fica restrito a locais determinados e as autoridades fiscalizam com rigor qualquer atitude que venha comprometer o equilíbrio ecológico do lugar.

Pelo Governo do Estado foi instituído o Programa Baía Limpa, que visa recolher todo o lixo produzido na região e em troca cada família envolvida no projeto, recebe um salário mínimo ou uma cesta básica.