Dois pontos em Pontal do Paraná e um na Ilha do Mel não são recomendados para banho no primeiro boletim de balneabilidade desta temporada.

As praias do Paraná têm 41 pontos próprios para banho e três em que não se recomenda entrar na água. Os dados fazem parte do primeiro boletim de balneabilidade desta temporada. A informação foi divulgada pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) nesta sexta-feira (21). Nos rios do Litoral do estado, são dois pontos impróprios para banho e três próprios.

No total, o instituto divulgará dez boletins com 49 locais – 44 pontos analisados nas praias e cinco em rios – a cada sexta-feira.

Nas praias, os pontos que não estão liberados para os banhistas ficam em Encantadas , na Ilha do Mel (250 metros à direita do trapiche); nos balneários Shangri-lá (perto da Avenida de Paranaguá) e Ipanema (perto da Rua Pará, ambos em Pontal do Paraná).

As praias de Guaratuba e Matinhos não têm restrições para banhistas nesse início de temporada.

Além desses, o Rio Nhundiaquara , em Morretes (no Largo da Lamenha Lins), e a Ponta da Pita, em Antonina, não estão liberados para banho.

A análise desta sexta-feira foi feita com base na coleta entre os dias 18 de novembro 17 de dezembro. Ela é válida até o próximo dia 26 de dezembro.

Bandeiras

A sinalização é feita por meio de bandeiras, uma delas com mudança de cor neste ano. Agora, as de cor verdes vão sinalizar os locais próprios, não mais as azuis, que deixam de existir. As vermelhas continuam iguais, apontando para os locais impróprios.

Segundo o IAP, a mudança ocorreu para que as pessoas enxerguem melhor as bandeiras. Além disso, os totens – novos equipamentos instalados na orla – são verdes, e também indicam a mudança.

O principal indicador levado em conta para analisar a qualidade da água é a presença de uma bactéria que está presente no sistema digestivo de seres humanos e animais de sangue quente, chamada Escherichia coli.

Quanto maior o número dessas bactérias na água, maior a chance de haver micro-organismos causadores de doenças. As enfermidades mais comuns, transmitidas em águas impróprias para banho, são gastrenterite, diarreia, doenças de pele e infecções nos olhos, ouvidos e garganta. Doenças mais graves também podem ser transmitidas por meio da água, como hepatite A, cólera e febre tifoide, segundo informações do IAP.

Totens eletrônicos

Neste ano, além das bandeiras que indicam as condições dos locais de banho, totens eletrônicos vão divulgar informações detalhadas. Esses equipamentos eletrônicos, que custaram R$ 100 mil, vão analisar as condições da água em um raio de 100 metros ao redor do ponto onde estiver instalado.

Os totens fazem parte de um projeto que quer instalar, no próximo ano, painéis que informem sobre incidência de raios solares. Isso fará com que os veranistas possam se prevenir e evitar determinados períodos nos quais a incidência de raios ultravioletas é maior.

Leia a matéria completa na GAZETA DO POVO.

Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Ilha do Mel.