A Secretaria de Estado da Saúde criou um programa para monitorar doenças, agravos e eventos adversos para a saúde da população do Litoral. O Programa de Monitoramento de Agravos do Litoral do Paraná (Promar) será implementado durante a Operação Verão 2011/2012, mas terá caráter permanente.

“Pretendemos que as ações iniciadas nesta temporada se tornem permanentes e sejam apenas reforçadas no período em que houver maior movimento no Litoral”, explica o superintendente de Vigilância em Saúde da secretaria, Sezifredo Paz.

Segundo ele, já estão sendo realizadas ações integradas de saúde em parceria com as secretarias municipais de saúde do Litoral. O planejamento estratégico das ações começou em outubro, com oficinas de trabalho na 1ª Regional de Saúde, em Paranaguá, e nos demais municípios.

De acordo com o diretor da 1ª Regional de Saúde, José Renato Pinheiro, a região apresenta um quadro preocupante com relação a algumas doenças infecciosas, como HIV/Aids, hepatites virais e tuberculose, e também indicadores de mortalidade que necessitam de intervenção efetiva.

Outra iniciativa da secretaria é a criação do Grupo de Trabalho de Saúde do Litoral (GT Saúde Litoral), que fará a articulação intersetorial para discussão de estratégias de enfrentamento dos problemas sanitários da região. Um parceiro importante na constituição do grupo é a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), que abrigará a secretaria executiva do grupo e ficará responsável pela coordenação, em parceria com a 1ª Regional de Saúde. Farão parte do GT representantes de órgãos federais, estaduais, municipais e da sociedade civil.

Para o início de 2012 está prevista a liberação de recursos do Estado para que os municípios do Litoral apliquem na área de Vigilância em Saúde, visando a melhoria dos serviços nas áreas de:

· Monitoramento da qualidade da água para consumo humano, incluindo águas superficiais – rios, córregos, nascentes e poços;

· Monitoramento de vibriões em ostras de cultivo;

· Vigilância sanitária de alimentos;

· Monitoramento de doenças diarréicas agudas;

· Monitoramento ambiental,

· Vigilância de acidentes com animais peçonhentos;

· Vigilância de eventos adversos de desastres naturais e acidentes com produtos perigosos sobre a saúde pública;

· Vigilância de Intoxicações;

· Serviço de Saúde do Viajante;

· Vigilância em Saúde do Trabalhador;

· Projetos Especiais de Controle de Agravos como Tuberculose, Hepatite e AIDS.

LITORAL – O Litoral do Paraná abriga cerca de 260 mil habitantes (IBGE 2010), em sete municípios que ocupam uma área de aproximadamente 6 mil km², distribuídos entre uma estreita faixa litorânea. Além da população local, durante todo o ano a região tem grande movimento de pessoas por conta das atividades portuárias e turísticas. Na temporada de verão a população chega a 2 milhões de pessoas.

Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Ilha do Mel.